Cruzando a Sicilia

Horizonte

Poderia ser qualquer mar. Ou talvez não, porque alguns são verdes, outros cinzentos, outros cor-de-garapa. Mas é o Mediterrâneo, entre Trapani e Palermo.

Cruzar a Sicília de carro (ou de ônibus) é deixar pra trás este horizonte azul e mergulhar na aridez ocre da ilha. Durante algumas horas só vemos isso, mas dá pra sentir a poesia rude que emana da terra de Pirandello. Oliveiras retorcidas, carneiros, algum trigo, feno, capim, terra batida…

Montanha

Limoeiros

Carneiros

Rolos de feno

Na etapa final, a silhueta do Etna se agiganta, com seus mais de 3 km de altura. É o vulcão mais alto da Europa, e está sempre envolto numa fumacinha branca. Dizem os sicilianos que se a fumacinha ficar preta, corra!

Etna

Do outro lado, o Mar Jônico. Ou melhor, Siracusa. A maior cidade da antiguidade, maior metrópole grega fora da Grécia e mais agitado pólo turístico da Sicília. Inesquecível!

Costão Ortigia

(Senta que lá vem história, mas num próximo post…)

Anúncios

0 Responses to “Cruzando a Sicilia”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: