Arquivo para maio \10\UTC 2010



Castañeda & Holanda

Você já ouviu falar de Castañeda? Não o mitológico escritor Carlos, nascido aqui no Juqueri, mas o Edmar, jovem músico colombiano, gênio da harpa contemporânea.

Não se preocupe, eu também não conhecia até pouquíssimo tempo. E harpa, cá entre nós, é um instrumento que só é visto em orquestras sinfônicas.

Mas na América Latina ela ocupa espaço importante dentro da música popular, em vários países. E Edmar Castañeda é um desses fenômenos que surgem muito raramente, capazes de transformar um instrumento tradicional em algo inusitado, extraindo sonoridades inéditas e criando um novo repertório.

Como faz, por exemplo, o bandolinista Hamilton de Holanda, aqui no Brasil. Outro gênio das cordas, que toca tudo num bandolim de 10 cordas porque o tradicional de 8 não é suficiente pra ele.

Bem,  imagine um encontro entre esses caras.  Isso vai acontecer no dia 16 de maio de 2010, no auditório Ibirapuera, em São Paulo. Serão sei-lá-quantas cordas soando juntas, misturando samba, jazz, cumbia, choro, world music, music without words, o escambau.

Suponho que você já conheça o Hamilton, como bom brasileiro. Então fique com um pouquinho do Edmar Castañeda, como tira gosto. Se você tinha algum preconceito contra harpas (ou colombianos), vai enterrá-lo agora:

E se você não conhece o Hamilton de Holanda, ainda dá tempo! Tem muita coisa boa no You Tube, é só digitar. Fique com esse solo heavy metal no meio de uma linda canção do Tatit, num show da Zélia Duncan, pra começar a semana.

Anúncios

Sobrescritos

Há dias quero falar de um pequeno e delicioso livro: “Sobrescritos – 40 histórias de escritores, excretores e outros insensatos”, de Sérgio Rodrigues (Arquipélago Editorial, 2010).

Quem já conhece o autor, que assina o blog Todoprosa, um dos mais lidos do meio literário internáutico, vai reconhecer algumas narrativas, lá publicadas. São pequenas peças de ficção, sempre girando em torno do universo das letras, como o título aponta.

Leitura rápida, mas não superficial. Sérgio denuncia, com humor e ironia, comportamentos e esquisitices dessa estranha raça de gente que se mete a escrever. Vaidades, frustrações e interesses escusos são dissecados sem pieguice, provocando riso e reflexão.

Por que diabos, afinal, tanta gente se mete a escrever? Até eu, que tenho meia dúzia de contos no disco rígido há anos, de vez em quando tropeço neles ao procurar outra coisa e me pergunto pra que, mesmo, escrevi aquilo…

Recomendo a leitura. Personagens que, como os esboços de Lautrec, mesmo feitos com traços rápidos se tornam inesquecíveis. Livrinho pra reler várias vezes, no ônibus, no metrô, no banheiro ou na sala de espera do dentista (quase que eu digo “da editora”…).

Nauweb de cara nova

Há duas semanas anunciei aqui a Nauweb, com pompa e circunstância, uma experiência de webtv alternativa, não jornalística, mas opinativa. Bom, deu o maior pau no media center , todo o design inicial foi perdido, ficou com cara de blog. Um rascunho.

Ontem conseguimos colocar a plataforma na rede, mais parecida com o que queremos. Espie novamente. Assino a coluna Canto da Sirene, e em breve teremos novidades. E patrocínio (espero!).

www.nauweb.tv

O destaque da semana é um vídeo exclusivo mostrando o discurso  (e o choro) de Lula no Primeiro de Maio, no Memorial da América Latina. Aquilo  que você, com certeza, não viu na TV. Nem na própria web!


Arquivos

Anúncios