Os juristas e as eleições

Semana final de campanha, espíritos acirrados, acusações mútuas e infâmias difundidas pela velha imprensa, que cada dia fede mais – para quem a lê – e não cheira e nem fede, para a imensa maioria do povo brasileiro.

Por sorte ainda temos a Carta Capital, que nesta semana mostra como boa parte do empresariado brasileiro não acredita em retrocesso. Estão lá Roberto Setúbal (Itaú) e Abílio Diniz (Pão de Açúcar) elogiando  o governo Lula, ao lado de Roger Agnelli (Vale) e outros.

Fui a alguns eventos de campanha, nos últimos dias. O comício de Dilma em S. Miguel Paulista me impressionou pela quantidade de gente. Também pelo número de bandeiras de entidades e partidos, e quase nenhuma do PT. A tal militância apaixonada de outros tempos parece mesmo estar em casa, fazendo campanha pela internet…

Marcante foi o manifesto dos juristas, na PUC-SP, terça passada. Tão lindo quanto o dos artistas, na véspera, no Rio, embora menos estrelado. Discursos fortes de Frei Beto, Luiza Erundina, padre Julio Lancelotti (“a Igreja que aprendi a respeitar lava os pés dos pobres, não está a serviço dos ricos!”), Dito (dos movimentos populares), políticos e vários juristas, como o paranaense Fachin, que leu o manifesto a favor de Dilma.

Forte mesmo foi o depoimento em vídeo do notável Celso Antonio Bandeira de Melo, professor de várias gerações de advogados da PUC, que se encontrava fora do país, mas fez questão de enviar sua mensagem.

Recentemente, me decepcionei com a virada de casaca de Hélio Bicudo, outro jurista de quem fui admirador (e até eleitor). Seu discurso magoado e rancoroso em relação ao governo que ajudou a construir tem fundamentos pessoais, que ele não tem a grandeza de superar. Queria ser ministro da Justiça, no lugar de Marcio Thomaz Bastos. Não deu.

Fiquem com Bandeira de Melo, que nunca ocupou cargos públicos, e é considerado o decano do Direito Administrativo no Brasil.

 

Anúncios

7 Responses to “Os juristas e as eleições”


  1. 1 Jussara Xavier 25/10/2010 às 4:54 pm

    Dan,
    preferi não me pronunciar muito nessa campanha…rs
    Mas foi a campanha mais sórdida e abjeta que eu tive o desprazer de ver. Não fui eleitora da Dilma (nem de qualquer outro) no primeiro turno, agora é Dilma no dia 31. Mesmo achando que o PT poderia escolher outro candidato, agora faço questão que seja Dilma, nunca vi desqualificarem tanto um candidato! Guerrilheira (isso virou defeito!!!!!), aborteira (desde quando????), lésbica (e daí!) e por aí foi… Mesmo que eu fosse uma idiota completa sobre politica eu votaria nela só por desagravo e para dizer para esses fundamentalistas que mulher pode sim, ser guerrilheira, ser a favor do aborto, ser lésbica, ser mãe, avó, ministra e presidente!
    bjs
    Jussara

  2. 2 Daniel Brazil 25/10/2010 às 10:45 pm

    É o que sinto, Ju!
    Hoje voltei à velha casa. Estive na USP, em um ato emocionante. Simples, gente sentada no histórico chão da História & Geografia, sem nenhuma pompa. Discursos empolgantes de mestres como Alfredo Bosi (Letras), Celso A. Bandeira de Melo (PUC), Laura de Mello e Souza (que leu mensagem do pai, Antonio Cândido), Heloísa Fernandes (que arrancou aplausos ao dizer que seu pai, Florestan, estaria ali junto com todos, nesse momento), Newton Lima (ex-reitor de S. Carlos) e Marilena Chauí, que encerrou o evento com uma fala marcante. Algo assim:
    “Minha geração viveu momentos difíceis, doloridos, mas também momentos maravilhosos. Vimos Mandela ser presidente da África do Sul, um negro ser presidente dos EUA, um índio ser presidente da Bolívia, um operário ser presidente do Brasil. E agora vamos ver uma mulher sucedê-lo. Isso é uma revolução!”

    A defesa da liberdade, da democracia, da universidade pública, do ensino de qualidade, das atitudes pacíficas, da campanha limpa, vinda destes mestres, mostra o acerto de nossa escolha. Até o pessoal do voto nulo, que fez algum barulho no início do ato, saiu caladinho.Uma beleza!

  3. 3 Penélope Martins 25/10/2010 às 10:49 pm

    Acompanhei as manifestações e tive um desejo imenso de escrever sobre elas, mas não o faria com tanta precisão. Parabéns por mais uma fala digna de ser notada e anotada! Fiz um link desta postagem no facebook, com a permissão concedida aos leitores assíduos (rs). Beijo,

  4. 4 Daniel Brazil 25/10/2010 às 10:59 pm

    Permissão concedida, Penélope! E nem precisava disso, pois a liberdade nesse espaço é absoluta. Beijo!

  5. 5 José Artur 29/10/2010 às 12:08 pm

    Fantástico, a campanha da Dilma deveria se valer deste discurso irretocável. Abç.

  6. 6 dalila teles veras 30/10/2010 às 3:52 pm

    Daniel, caro
    Como sempre, você fala por mim (e tenho certeza de que por muitos) mas com muito mais propriedade do que eu o faria. Obrigada e aproveito para dizer que também subscrevo, na íntegra, o comentário da Jussara (que eu não conheço, mas de quem já me torno cúmplice pela veemência e coincidência de idéias). Abraço a ambos
    dalila teles veras

  7. 7 Daniel Brazil 01/11/2010 às 8:10 pm

    Hugo, retirei teu comentário porque se configurava como injúria e calúnia. Não quer que você seja processado, OK?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: