O naturalista amador

Observações de um naturalista amador sobre Fernando de Noronha.

1 –  Não existe cobra.

2 – Não existe urubu.

3 – A única espécie terrestre endêmica da ilha é uma simpática lagartixa chamada Mabuia (Mabuya maculata). Por milhões de anos não tinha predadores, até que…

4 – … algum imbecil introduziu garças (Bubulcus ibis) na ilha para enfeitar a paisagem. São os urubus da ilha. Furam sacos de lixo, saqueiam hortas, batem carteiras, entopem turbinas de avião. E perseguem as mabuias.

5 – Um português idiota (antepassado meu, na certa) resolveu trazer pardais para Noronha, há duzentos anos. Para que importar da Europa um passarinho feio, que não canta, não presta pra comer, e que expulsa os outros do território? É o camundongo da avifauna! (O rato é o pombo).

6 – Por falar em roedores, outro idiota (nordestino, certamente, como alguns parentes meus) trouxe alguns mocós (Kerodon rupestris) para a ilha nos anos 60. Também virou praga, e muita turista fresca sai correndo apavorada gritando “socorro, um rato enorme!”. É um parente do preá, herbívoro, sem cauda, mas nunca dá tempo de explicar.

7 – Não existe tatuí nas areias douradas de Noronha. Nem conchinhas. Nem garrafa pet.

8 – Acordar às 5 horas e enfrentar uma trilha barrenta para ver golfinho chegar da gandaia noturna é o maior mico!

9 –  Previsão do tempo não funciona. Você sai da pousada com sol e chega na praia, quinze minutos depois, com chuva. Ou vice versa.

10 – Uma nativa limpava peixinhos num balde, na praia. Em volta, um bando de viuvinhas, duas fragatas e um atobá. Jogava as cabeças e tripas como quem arremessa milho para as galinhas. Quando me aproximei vi que limpava os peixes com os dentes, sem auxilio de faca. Mordia e cuspia as tripas. Pedi uma cabeça de peixe, para ver se os pássaros comiam na minha mão.

Mais dois turistas se animaram e pediram peixinhos. Um moleque pediu três, ela começou a ficar irritada. Sugeri que vendesse os peixinhos para os turistas posarem, um real cada, ia faturar uns trinta reais naquele balde. Ela redargüiu: “Se eu vender, vou comer o que?”

Passou pela minha cabeça explicar a ela o princípio do capitalismo, mas desisti. Trinta reais pra comprar pão de forma, queijo plastificado, hambúrguer congelado? Melhor ficar no peixinho.

11 – Tubarão noronhense só come sushi, detesta carne de segunda. Pode mergulhar tranqüilo!

12 – Não é raro encontrar aratus pelas ruas da Vila dos Remédios, mais de duzentos metros distantes do mar, morro acima. Alimentam-se de surfistas e bêbados caídos na sarjeta.

13 – A fauna é muito mais colorida debaixo dágua.

14 – Tem mais sereia na praia que no mar.

15 – Noronha é o único lugar do Brasil onde não se ouve bem-te-vi ao amanhecer. Senti falta…

 

Anúncios

2 Responses to “O naturalista amador”


  1. 1 Ana 26/02/2011 às 12:29 am

    Tinha seu blog salvo em meus favoritos há muito tempo, lendo hoje tive nojo do preconceito “idiota” encontrado na frase “…Por falar em roedores, outro idiota (nordestino, certamente, como alguns parentes meus)…”. Você se acha um ser superior? É de outra região?? E o que veio fazer aqui, as maravilhas da sua terra não são o suficiente?!
    Santa ignorância!

  2. 2 Daniel Brazil 26/02/2011 às 11:35 am

    Ana, você não percebeu a ironia? Eu estou me colocando na companhia dos nordestinos, da idiotice imensa da espécie humana.
    Releia com atenção. Não seria um carioca, um sueco ou um javanês que traria um bicho do sertão nordestino para a ilha, certo? Aliás, quando falei mal dos portugueses, não te incomocou, parece ter achado normal. Será preconceito teu?


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: