Mergulhos

De volta à Ilhabela. Vamos ver se agora pego embalo até o final do livro. As interrupções das festas natalinas quebraram o ritmo, que vinha constante desde novembro. Quando pensei em retomar, veio a semana em Noronha. Inesquecível, cheia de momentos memoráveis.

Por exemplo, os mergulhos. Nasci na beira do mar, e desde pequeno enfiava a cara na água para ver os peixinhos. Meu batismo com cilindro foi em Angra dos Reis, na década de 80. Fiz alguns mergulhos, visitei naufrágios, peguei minha primeira lagosta pelos bigodes (e larguei). Gosto tanto do mundo submarino que um de meus primeiros heróis foi Jacques Cousteau. Desconfio de que estudei cinema para filmar como ele, e não como Eisenstein, Kubrick ou Chaplin*.

Fernando de Noronha é um lugar especial. O melhor ponto de mergulho do Brasil, disparado. A transparência das águas e a riqueza da fauna são incomparáveis. Os encontros corriqueiros com grandes tartarugas, tubarões, polvos, raias e golfinhos tornam a aventura emocionante. Eu contive a respiração pelo menos em dois momentos: primeiro, com uma barracuda de mais de um metro que passou sobre minha cabeça, no mergulho autônomo em mar aberto. Outro, quando um tubarão de um metro e meio passou tranquilamente sob meu corpo, quando observava tartarugas na baía do Sueste, com snorkel. Se eu esticasse o braço, tocaria nele. Me ignorou solenemente e sumiu em direção à entrada da baía, sem a menor pressa.

Vimos tubarões até em pequenas lagunas, como em Atalaia. Só comem sushi, dizem os nativos para te tranquilizar. Me lembrei que, há muitos anos, um velho pescador de Ilhabela me ensinou a diferença entre cação e tubarão. “Se a gente come ele, é cação. Se ele come a gente, é tubarão”.

Agora faz mais calor em Ilhabela que no mês de janeiro. As águas estão mais límpidas.  Ontem corri para a praia no fim da tarde e dei um mergulho.  Quase trombei com uma tartaruga-de-pente que pastava algas, sossegada. Felizmente há muitas coisas em comum entre Noronha e Ilhabela!

*Bem, Chaplin talvez.

Anúncios

5 Responses to “Mergulhos”


  1. 1 Daniel Brazil 08/02/2011 às 10:22 pm

    Só para registrar:
    Aa duas primeiras fotos são do fotógrafo profissional que nos acompanhou no mergulho. As duas últimas foram feitas com uma pequena Kodak descartável, por mim mesmo. Perdoem a tosquice dos enquadramentos!

  2. 2 Penélope Martins 09/02/2011 às 8:51 am

    o enquadramento foi poético, só para registrar. Espero que saia logo o livro, mas enquanto isso o blog satisfaz com posts memoráveis. Abraço Daniel,

  3. 3 Daniel Brazil 09/02/2011 às 9:45 pm

    Poética da imperfeição, Penélope. Obrigado!

  4. 5 Daniel Brazil 14/08/2011 às 1:02 pm

    Tubarão limão. Provavelmente o menor também, pois só quando cresce adquire este tom amarelado.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: