Caiu a casa do Serra…

Dois livros impactantes foram lançados há poucos dias, e vão levantar muita discussão. O primeiro, A Privataria Tucana, é fruto de 12 anos de pesquisa do premiado jornalista Amaury Ribeiro Jr. Revela detalhes das maracutaias e desvios obrados durante o governo FHC,  com o desmonte do Estado e o sumiço de milhões de dólares, sob o discurso anestesiante do neoliberalismo. Leitura imperdível para quem ainda acredita na lisura dos emplumados políticos da oposição. Lembra do caso da funcionária acusada de quebrar o sigilo de tucanos, em Mauá, durante a campanha de 2010? Pois o livro conta, tintim por tintim, como a filha de José Serra quebrou o sigilo de 60 milhões de brasileiros e a imprensa escondeu o assunto (mas esse é o tema do segundo livro aqui comentado).  Tenho vontade de enviar um para o Ferreira Gullar que, no ano passado, em plena campanha eleitoral, classificou Serra como pessoa de “ilibada conduta”. Quem sabe ele acorda…

O outro livro é de dois jornalistas veteranos, respeitados pelos colegas, admirados pelos focas mais idealistas. Mylton Severiano e Palmério Dória têm uma biografia tão rica que não dá pra esmiuçar aqui. Recomendo uma pesquisa na internet. A dupla é jurada de morte no Maranhão por ter escrito um livro denunciando o cappo de tutti capi José Sarney (Honoráveis Bandidos, Geração Editorial, 2009). Rola no YouTube um mimoso vídeo mostrando os “seguidores” do bigodudo tentando empastelar o lançamento do livro em São Luís. Realizado num sindicato, por sinal, porque todas as livrarias da cidade se recusaram a bancar o evento, com medo de represálias.

A nova empreitada é Crime de Imprensa (Plena Editorial, 2011, 35 reais). Como eles advertem na capa, nós não vamos ler nenhuma resenha ou nota sobre este livro na “grande” imprensa. Simplesmente porque o tema é o comportamento da  mídia durante a campanha eleitoral de 2010. As mentiras, a manipulação, a ocultação de fatos comprometedores, o jogo de interesses. Lembra da bolinha de papel, que tentaram transformar na “bala de prata” que iria derrubar o monstro Lula e sua criatura Dilma? Tá lá, explicadinha. E  um dos personagens centrais do primeiro livro aqui vira protagonista absoluto: José Serra. Aquele que liga para redações e manda cortar matérias, demitir jornalistas ou publicar reporcagens (sic) convenientes. O que é contra o “controle social da mídia”, porque significaria dividir o controle com essa gentinha que é o povo brasileiro.  Melhor dividir com os Grandes Irmãos, como Severiano chama a meia dúzia de famiglias que controlam a imprensa nativa.

Enfim, leitura rápida, vertiginosa, no sentido de não conseguirmos largar o livro depois de iniciado. E profunda, como deve ser a busca da verdade. Oxigênio para quem vive sufocado pela mediocridade conivente dos jornalões e emissoras de TV, pelas mentiras que ocultam interesses, pelo preconceito mal camuflado, vendo a opinião pública ser contaminada por estes  “honoráveis bandidos” que são os donos da velha imprensa. Como disse o grande Lima Barreto (1881-1922), citado no prefácio:

“- A Imprensa! Que quadrilha! Fiquem vocês sabendo que, se o Barba Roxa ressuscitasse, agora com os nossos velozes cruzadores, e formidáveis couraçados, só poderia dar plena expansão a sua atividade, se se fizesse jornalista. Nada há tão parecido como o pirata antigo e o jornalista moderno…”

E para quem, de antemão, acusar a dupla de governista, a resposta já vem pronta:

“Aos leitores poderá parecer que os autores votaram em Dilma Rousseff. Assim é se lhes parece. Foi um voto bastante por exclusão: não havia ninguém melhor do que Dilma na lista dos candidatos em 2010 para governar. Não somos dilmistas, muito menos petistas. O mais adequado sufixo ‘ista’  que se pode aplicar aos autores se encontra na palavra ‘jornalista’”. 

Estes honram a profissão!

4 Responses to “Caiu a casa do Serra…”


  1. 1 Maristela Debenest 13/12/2011 às 1:30 pm

    O primeiro é dinamite pura no ninho do tucanato paulista – ou, como comentou o Zé Mauricio, “é só pena que avua”…
    O segundo vou comprar, pra ler em seguida. Obrigada pela dica.
    Abraço, Daniel.

  2. 2 Marli Belloni 14/12/2011 às 11:08 pm

    Ai, Daniel, tô tão cansada das “reporcagens”. vergonha da minha profissão, viu? como tem picareta por aí, defendendo o indefensável, mentindo, omitindo, desvirtuando. ainda bem que há ainda uns poucos que salvam a nossa cara com a coragem de suas denúncias.

    • 3 Daniel Brazil 15/12/2011 às 9:52 am

      Por falar em reporcagem, hoje a Falha dá meia página sobre o livro, com retratinho de Ricardo Sérgio de Oliveira. Conforme previsão bem previsível, é uma não-reportagem (aliás, não assinada). Levanta 3 pontos obscuros do livro, e ignora solenemente os muitos pontos iluminados por holofotes. E, claro, diz que Amaury foi acusado de violar o sigilo fiscal de tucanos. Nem uma palavra sobre Verônica Serra ter violado o sigilo de 60 milhões de brasileiros, como está documentado no livro.
      É por aí que vai a balada. Mas a reporcagem é tão furada, tão encomendada, que abre mais um flanco para mostrar a manipulação da informação na velha imprensa. Dá pra usar em sala de aula!


  1. 1 Caiu a casa do Serra… « FÓSFORO | iComentários Trackback em 12/12/2011 às 7:54 am

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: