Para o seu governo

Esta semana fui ao teatro. Ou melhor, fui ao espetáculo de dança-teatro-poesia do grupo Caleidos, na Galeria Olido, em São Paulo. Depois de ter enfrentado o mico da Virada Cultural, semana passada, com gente demais pra tudo quanto é lado, nada melhor que voltar ao velho Centro e ver que ainda há salvação.

O Caleidos segue uma linha muito interessante de trabalho, misturando prosa, poesia, dança e teatro. A coreógrafa Bel Marques, formada na escola de Laban, propõe uma interação  entre bailarinos e público de uma forma inovadora. Eu, pelo menos, nunca tinha passado por esse tipo de experiência.

Nós (o público) entramos pelos bastidores, e fomos posicionados no palco, não na platéia. Um grande tabuleiro quadriculado, onde cada pessoa ocupou um metro quadrado marcado no chão. Os bailarinos dançaram à nossa volta, movimentando as pessoas como peças de xadrez, de um quadrado para outro, mas de forma delicada, sem constrangimentos. Tudo isso é regido por um texto, lido ao vivo pelo autor Fábio Brazil, que enumera estatísticas monstruosas sobre a nossa, digamos, civilização. “Para o seu governo, este espetáculo começou há 15 minutos. Nesse período, 2.412 mulheres sofreram algum tipo de violência no Brasil”. O “Para seu governo…” vai enumerando dados urbanos, nacionais e mundiais, mesclados a uma trilha sonora intensa e tensa.

Durante uma hora fazemos parte do espetáculo. Às vezes em pé, às vezes sentados, cada um no seu metro quadrado. Ou melhor, no quadrado da vez. Saí de lá pensativo, e louco para comer um autêntico bauru do Ponto Chic. Infelizmente, às 21 horas de uma sexta-feira, estava fechado. Sinal dos tempos, do medo que se instalou no centro de São Paulo. Os mendigos na calçada da avenida São João ocupavam seus quadrados. Ou melhor, o quadrado da vez. Amanhã estarão em outro metro quadrado, se sobreviverem.

4 Responses to “Para o seu governo”


  1. 1 valmir 14/05/2012 às 11:12 am

    Perde o chame ir ao Centro de noite e encontrar fechado o Ponto Chic

  2. 2 Fábio Brazil 14/05/2012 às 3:38 pm

    Dani, nós é que ficamos felizes com sua visita ao Centro de São Paulo – desVirado – e aos nossos metros quadrados. Mais felizes ainda por você ter gostado e sair instigado pelo trabalho. Para nós, PARA O SEU GOVERNO, significa mais um passo, mais um salto na nossa pesquisa de 15 anos sobre interatividade em dança. Sempre fugimos do perigo – que outros ignoram – de cair no puro “mico” ou na ingênua “fazeção” – roubando um termo da Ana Mae Barbosa. Por outro lado, queríamos sair dos parâmetros já “consagrados” que estabelecemos. Quisemos correr riscos. Arte é risco.
    Outro risco foi a questão explicitamente política. Tema sempre espinhoso, tão fácil cair no panfleto, quanto cair na “conscientização dos já conscientes”. Você ter conseguido dialogar com o trabalho, para nós é muito significativo; no meio da construção do espetáculo, nos perguntamos se não estávamos nos aproximando muito do documentário – que é a sua praia -, mas o que seria um documentário em dança?
    Sua leitura do tabuleiro de xadrez tem tudo a ver com o nosso trabalho, mesmo que nós não tenhamos chegado aos metros quadrados do cenário por essa via, afinal, nós convocamos o público para ser a cena/cenário e jogar o nosso jogo de movimento e texto, mas que é sem dúvida, jogo, e por que não um jogo de xadrez? Mas só com piões…
    Engraçado essa sua postagem sobre o PARA O SEU GOVERNO ter saído logo após uma postagem sobre a corrupção – seria coincidência? Aos nos propormos esse trabalho, vimos claramente que precisávamos recalibrar nossos sensores políticos e realinhar os alvos, – confesso aqui uma necessidade minha de autor/dramaturgo – claro que a corrupção, nas suas formas mais pecuniárias e cruas e nas formas mais sutis e pessoais, saltou logo à nossa frente, “pedindo bala” – PARA O SEU GOVERNO, a cada TRÊS segundos a corrupção brasileira gera um prejuízo de 6 554 reais. Mas, também, PARA O SEU GOVERNO, a cada TRÊS segundos, 9 mil dólares são gastos na compra de pornografia na internet.
    E que tenhamos sempre os parceiros e a munição da arte para propor diálogos com tudo isso.
    Forte abraço, Fábio.

  3. 3 Isabel Marques 14/05/2012 às 7:47 pm

    Daniel, em primeiro lugar, obrigada por ter vindo.
    Para o seu governo, arte só faz sentido com público!
    Para o seu governo, a arte do Caleidos conta com o público…
    Ter você na plateia é sempre especial, público especializado e generoso.
    Obrigada. Queremos continuar compartilhando quadrados com você!
    Abração,
    Isabel

    • 4 Daniel Brazil 14/05/2012 às 9:53 pm

      O prazer foi meu, Bel!
      Só pra lembrar, o link do Caleidos está aí no texto. Podem conferir a data e local das próximas apresentações!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: