O Estranho no Corredor

 

Saiu a lista dos romances finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura, e fico feliz de ver dois amigos classificados entre os autores estreantes.

Estreantes, vírgula. São contistas exímios, e várias vezes premiados. Arriscam agora o que chamo de “prova de fundo” do atletismo literário. Conto é tiro rápido, explosão e beleza. Romance requer fôlego, estratégia, resistência e… beleza também, claro.

Já falei aqui do Fita Azul, o admirável romance de Edmar Monteiro Filho.

Há tempos me delicio com O Estranho no Corredor, romance de Chico Lopes. Digo há tempos porque ainda está na minha cabeceira, e reli as páginas finais umas três vezes, por puro deleite.

Chico nasceu e cresceu em Novo Horizonte, pequena cidade do interior paulista. Alguns traços do  livro de memórias A Herança e a Procura, que comentei aqui,  estão presentes  no romance (ele insiste que é novela: O Estranho no Corredor, Editora 34, 126 páginas).  Curiosamente,  o Fita Azul de Edmar (nascido em Amparo, outra pequena cidade do interior paulista) também traz muito do conhecimento geográfico-sentimental do autor, da vivência cotidiana. Só que este é protagonizado por uma mulher (de 130 anos!), o que afasta qualquer hipótese de roman à clef.   

O Estranho no Corredor, do mestre Chico Lopes, é contagioso. Com admirável fluência, descreve a vida de um escritor inédito, numa pequena cidade do interior paulista (engraçado, acho que já escrevi esta frase antes…), com amizades rasteiras e precário orçamento.

Seria um livro quase comum se não surgisse, logo no primeiro capítulo, a figura fugidia de um homem misterioso, que parece espioná-lo. A trama ganha uma dimensão metafísica, imaterial. O homem existe ou é fruto da imaginação do protagonista?

Acompanhamos os encontros amorosos, a complexa relação com o macho-alfa Russo, que conhece num bar, a engenhosa imbricação das personagens. O final é fantástico, em todos os sentidos que a palavra encerra.

Enfim ficarei na torcida. Não li os outros concorrentes, seria cabotino apontar algum como “melhor”. Mas estão, sem dúvida, entre os melhores romances que li este ano!

3 Responses to “O Estranho no Corredor”


  1. 1 Edmar Monteiro Filho 03/08/2012 às 7:08 pm

    Amigo Daniel: Grato por sua lembrança da minha Fita, que anda se soltando um pouco, por conta dessa nomeação. Acho que essa senhorinha, que escreve aos 130 anos – e que, portanto, vai além – ficaria contente. Grande abraço!
    Edmar

  2. 2 Daniel Brazil 03/08/2012 às 8:00 pm

    Estar na lista de finalistas já é um prêmio, Edmar. Continuo no meu papel de divulgador informal. Abraço!


  1. 1 Prêmio São Paulo de Literatura 2012 « FÓSFORO Trackback em 25/09/2012 às 5:55 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: