Eu estive aqui

É inevitável, um dia você ouve a pergunta. “Onde você já esteve?” Se parte de alguém mais jovem, até uma criança, a curiosidade às vezes se mistura com a inveja, com a vontade de ir mais longe. Se vem de alguém mais velho, geralmente é uma inquisição, uma investigação sobre a tua experiência sobre a face do planeta. Você tem de provar a quilometragem, mostrar que conhece alguma coisa além do teu quintal.

Mas às vezes a pergunta vem de um amigo, na mesa de um bar. Ou de um aluno. Ou de um vizinho. E você tem de fazer um exercício seletivo intenso, para oferecer o teu melhor currículo. Uma praia, um continente, um jogo de futebol, uma avenida, um certo carnaval… Em quantas roubadas você já esteve? Em quantas festas você queria estar longe dali? Em quantas cidades você nunca mais quer pisar na vida? E em quantas você amaria voltar?

Ouvi esta pergunta (novamente) há pouco tempo. E escolhi alguns lugares insólitos pra começar, mas aviso que a lista é grande. Conheço Oropa, França e Bahia, mas não conheço a casa do meu vizinho… Turismo? Me inclua fora disso. Não vou falar de cartão postal. Ontem, remexendo no baú de fotos (na verdade, um HD) relembrei de alguns lugares, digamos, inusitados.

Estive mais de uma vez nas minas de carvão de Criciúma…


DanielRampa

Toquei bandonéon (mui malo!) no bar El Sur, em Buenos Aires…

IMG_4843

Passeei com o meu amor no Vicolo del Divino Amore, em Roma…

Divino Amore

Testemunhei a  Giselle Bundchen de biquíni num aeroporto europeu…

Gisele Roma

Acordei um dia no interior da França, abri a janela, e contemplei esta paisagem…Paisagem da Janela

Estive no Fórum Social Mundial de Belém, em 2010, e vi a Morte de perto!

A Morte

Tô falando sério! Já estive até na casa do Chapéu, e provo: Fica em Minas Gerais…


Ambev 054

4 Responses to “Eu estive aqui”


  1. 1 dalila teles veras 28/03/2013 às 11:38 pm

    Que beleza isso, Daniel! Um viajante verdadeiro! Nenhum cartão postal, mas quantos cartões para uma cartografia do conhecer, da curiosidade do saber e viver! Obrigada, um presente verdadeiro para seus leitores.

  2. 2 Daniel Brazil 28/03/2013 às 11:55 pm

    Obrigado, Dalila. Às vezes tenho mais vontade de falar de um quintal de subúrbio em São Luiz do Maranhão do que de um palácio francês. Faz sentido?

  3. 3 dalila teles veras 09/04/2013 às 10:12 pm

    Faz muito sentido! Ah os chatíssimos e manjadíssimos cartões postais!
    É preciso coragem e muita convicção de propósitos para fugir deles, coisa que um verdadeiro viajante (ao contrário de um turista) sabe fazer.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: