Cabo da Boa Esperança

Pronto, já vou alterar o roteiro previsto… Não dá pra falar de Cape Town sem explicar porque ela é “do Cabo”. Ali fica o famoso Cabo das Tormentas, descoberto por Bartolomeu Dias em 1488, e depois rebatizado como “da Boa Esperança” por ordem d’El Rei D. João II. Gelado, fustigado por ventos polares, é um paredão de pedra que avança em direção ao mar, separando o Atlântico do Índico. A primeira praia da costa atlântica (abaixo) chama-se Dias, e é frequentada somente por pinguins e focas.

Cabo da Boa Esperança

Nos 50 km que separam a Cidade do Cabo do cabo propriamente dito, pegamos umas quatro chuvas. No marco histórico, todo mundo encapotado, enfrentando o vento-navalha. Parece que Bartolomeu Dias estava certo no batismo… Vasco da Gama, que dobrou o cabo, empresta o nome à Marina da Gama, na Cidade do Cabo. Centenas de gaivotas e cormorões-do-cabo fazem ninhos nas escarpas rochosas.

Cabo da Boa Esperança

O cabo possui um farol, que foi construído no lugar errado e provocou alguns  acidentes. Não, não foi construído pelos portugueses, foram ingleses mesmo. Hoje é um local turístico, e vem gente de todo o mundo ver o ponto mais meridional da África.

Cabo da Boa Esperança

Só que não é mais… Aliás, nunca foi. A menos de dez km há o Cabo Agulhas, que é o verdadeiro ponto extremo do continente. Mas falta a este o charme, a história, as lendas e o encanto do velho Cabo da Boa Esperança. Portanto, fiquemos com a lenda. Chega-se ao topo a pé ou de bondinho (um plano-inclinado, como o elevador Gonçalves, de Salvador).

Cabo da Boa Esperança

Há no Cabo um ótimo restaurante chamado Two Oceans (óbvio), especializado em frutos do mar, onde comprovei que a África do Sul faz uma ótima cerveja. Peça a Castle Draught, uma lager deliciosa! Os camarões são enormes (três tamanhos: Prince, Queen e King. Há um Tiger, do tamanho de uma lagosta, mas não provei). Muitos peixes, lulas (calamari) e mariscos. E hamburguer de avestruz, pra quem quer provar coisas diferentes.

Cabo da Boa Esperança

Abaixo, um típico habitante do cabo, que encontramos no percurso de volta, na costa índica. Ao contrário do que mostram os filmes e documentários televisivos, fazem ninhos na terra mesmo, entre os arbustos.  Maldita mídia, sempre enganando a gente!

Praia dos Pinguins

3 Responses to “Cabo da Boa Esperança”


  1. 1 violanatela 13/09/2013 às 10:30 am

    Que puta lugar, Daniel.
    Deve ter sido uma experiência e tanto.

  2. 3 ana lis 26/10/2013 às 8:38 pm

    lindo,magico!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: